LEPIC® – SOFTWARE DE ANÁLISE DA LEITURA

LEPIC® – SOFTWARE DE ANÁLISE DA LEITURA

Luciana Mendonça Alves

Lucas De Oliveira Cunha

Luiz Felipe Santos

Felipe Melo

Letícia Correa Celeste

Apresentador:  Lucas de Oliveira Cunha

Eixo: Estudos com conclusões finais

Tipo de Apresentação: Oral Resumo:

A avaliação das medidas de fluência em leitura oral tem sido confirmada por pesquisas nacionais e internacionais como um importante indicador de problemas de leitura. Entretanto a avaliação destas medidas é trabalhosa e até então realizada de maneira manual, demandando muito tempo e conhecimentos teóricos sobre a temática. Por este motivo elas se tornam em alguns casos inviáveis de serem realizadas manualmente para grandes grupos, como acontece no contexto de uma escola, onde é preciso comparar as habilidades de muitos escolares em cada turma. Foi pensando nestas dificuldades que foi desenvolvido o software LEPIC®. Sua proposta é otimizar a avaliação dos parâmetros de leitura oral de indivíduos de qualquer idade, com um sistema de análise semiautomática que conta com confiabilidade na análise dos dados, além de recursos como geração de relatórios, comparação de resultados e organização das medidas. O programa possui aplicabilidade clínica e educacional e pode ser operado por qualquer profissional envolvido com o monitoramento, a avaliação e o diagnóstico dos problemas de leitura. O presente trabalho objetiva apresentar o software assim como as análises preliminares de confiabilidade do mesmo.

Introdução:

Diversos estudos na literatura nacional e internacional apontam para a importância da investigação objetiva dos parâmetros de leitura oral na avaliação do desempenho da habilidade de leitura. Os trabalhos realizados por Navas et al. (2009); Kawano et al. (2011); Martins & Capellini (2014) e Alves (2007) evidenciam a relevância que a avaliação objetiva das medidas de fluência leitora possuem para indicar problemas de leitura, dentre os quais figura a dislexia.

Na prática clínica em fonoaudiologia a avaliação da fluência de leitura tem como base a avaliação perceptiva subjetiva dos parâmetros prosódicos e da fluência, que se caracteriza como um processo trabalhoso e demorado. Segundo Alves (2007) os aspectos relacionados à prosódia na leitura de crianças disléxicas se encontram alterados. Estes parâmetros prosódicos assim como outros parâmetros da fluência de leitura oral podem ser objetivamente medidos. (Alves, Reis e Pinheiro, 2015; Alves, Lalain, Ghio e Celeste, 2015; Alves, Reis, Pinheiro e Capellini, 2009; Alves, Pinheiro, Reis e Capellini, 2009; Alves, Pinheiro, Capellini e Reis, 2007, Alves, 2007; Alves, Pinheiro, Capellini e Reis, 2006).

A fim de preencher esta importante lacuna, o software LEPIC® foi idealizado por duas fonoaudiólogas e um engenheiro de Sistemas de Informação. Seu objetivo é otimizar a análise de fluência e compreensão de leitura, uma vez que a análise da fluência leitora pode ser um processo trabalhoso e que demanda muito tempo, especialmente para pessoas que não possuem formação específica na área. Isto acontece porque a avaliação destes parâmetros de leitura exige conhecimento teórico sobre as medidas de fluência de leitura, mais acessíveis à fonoaudiólogos, habilidade em confecção de planilhas para registrar os dados referentes a cada leitura, habilidade em construção de gráficos para comparação do desempenho de leitura do grupo avaliado e ainda conhecimentos em estatística para classificação dos escolares abaixo da média (com menor desempenho em leitura) que devem receber maior atenção. Este processo, quando realizado manualmente, demanda muito tempo porque é necessária a gravação, transcrição e análise de cada leitura além dos cálculos que devem ser realizados para se encontrar cada medida. Quando pensamos em uma comparação entre turmas ou escolas diferentes o tempo gasto para a análise se torna muito maior, dificultando ainda mais a realização da análise. A existência de um software que otimiza a análise das medidas de fluência leitora significa uma economia de tempo e de instrumentos de medida, uma vez que o programa instalado no computador dispensa a utilização de calculadoras, cronômetros, impressão de folhas e outros instrumentos. A proposta do software é realizar a análise semi automática e instantânea da fluência leitora de indivíduos de todas as idades, seja para apoio na avaliação da leitura ou como forma de monitoramento das habilidades de leitura e do desenvolvimento do escolar nesta habilidade.

O software possui possibilidades de aplicação em ambiente escolar com especial relevância para o Ensino Fundamental, verificando o progresso dos alunos em relação a sua idade, série escolar e também em relação à sua turma. A utilização do programa permite a identificação de alunos com desenvolvimento dos níveis de fluência leitora abaixo do esperado para idade e série escolar, direcionando a atenção dos educadores e agilizando o encaminhamento, seja para uma avaliação mais completa ou para orientações, prevenindo o desenvolvimento de problemas acadêmicos, psicológicos ou sociais. No ambiente escolar o software pode ser utilizado pelo professor da turma ou outro profissional da educação.

O programa também possui aplicabilidade clínica para indivíduos de qualquer idade com queixas de leitura, podendo ser utilizado em consultórios por fonoaudiólogos, psicólogos, psicopedagogos e outros profissionais que atuam na avaliação e diagnóstico de problemas de leitura.

Ressalta-se que não se trata de um instrumento único de diagnóstico dos problemas de leitura, mas de um recurso para auxiliar a investigação do desenvolvimento desta habilidade com ênfase em demonstrar como o indivíduo se encontra em relação aos seus pares no que diz respeito às habilidades de leitura auxiliando na identificação de atrasos e dificuldades no desenvolvimento. Esta investigação auxilia o diagnóstico dos problemas de leitura juntamente a outras avaliações realizadas por um profissional capacitado.

Objetivos:

O objetivo do presente trabalho é apresentar o software LEPIC®, suas aplicações em análise de fluência e compreensão de leitura, bem como as análises preliminares de confiabilidade do mesmo.

Métodos:

O software foi desenvolvido de forma a realizar a análise semiautomática da fluência de leitura a partir da gravação da leitura oral do indivíduo que se pretende avaliar. A gravação da leitura pode ser realizada pelo próprio software ou em outro dispositivo e importado para o programa no formato de extensão “.wav”.

O programa é capaz de analisar o nível de desenvolvimento da fluência leitora e ainda o grau de compreensão do texto lido por meio de questões objetivas.

O software trabalha com as seguintes medidas:

?     Tempo total de leitura.

?     Quantidade de palavras lidas por minuto (PPM ou Taxa de leitura).

?     Quantidade de palavras lidas corretamente por minuto (PCPM ou Acurácia).

?     Quantidade de sílabas por segundo.

?     Quantidade de palavras lidas de forma imprecisa.

?     Tipos de trocas cometidas.

?     Análise do texto completo e do primeiro minuto de leitura.

?     Desempenho em provas objetivas (quantidade de acertos).

?     Tempo de reação para as questões de interpretação de texto.

Algumas medidas são calculadas de forma automática pelo programa, são elas:

?     Tempo total de leitura

Caracteriza-se pelo tempo total gasto na leitura de um texto e é medido em segundos. Quando o áudio é inserido no programa, este calcula automaticamente o tempo gasto na leitura do texto.

?     Quantidade de palavras lidas por minuto (PPM) ou taxa de leitura. Representa o número de palavras lidas por minuto por um determinado leitor. É calculada pela fórmula:

Taxa de leitura = número de palavras lidas x 60 segundos / Tempo total de leitura (em segundos)

?     Quantidade de sílabas por segundo.

Representa a quantidade de sílabas lidas por segundo, também conhecida como taxa de elocução. É calculada pela fórmula:

 Taxa de elocução: número de sílabas emitidas / tempo total de leitura (em segundos)

?     Análise do texto completo e do primeiro minuto de leitura.

Inclui o cálculo das medidas Palavras por minuto (PPM ou taxa de leitura) e palavras lidas corretamente por minuto (PCPM ou acurácia) referentes ao 1° minuto de leitura e do texto como um todo. ?     Desempenho em provas objetivas

Para cada texto inserido no software é possível inserir também um questionário para avaliação da compreensão do material lido. O desempenho nas provas objetivas representa o número de acertos do indivíduo nas questões referentes ao texto.

?     Tempo de reação para as questões de interpretação de texto.

É o cálculo do tempo gasto para responder às questões objetivas referentes ao texto lido.

Outras medidas são calculadas de forma semiautomática, ou seja, exigem algum grau de análise do operador do programa acerca da leitura que está sendo avaliada. As medidas analisadas de forma semiautomática são:

?     Acurácia

Para o cálculo da acurácia ou quantidade de palavras lidas corretamente por minuto (PCPM) são contadas apenas as palavras que tiveram uma leitura fluente, ou seja, sem hesitações, falhas e revisões (falhas na decodificação da palavra). Para esta medida utiliza-se a fórmula:

 Acurácia = número de palavras lidas corretamente x 60 segundos / tempo total de leitura (em segundos)

?     Quantidade de palavras lidas de forma imprecisa

São computadas as palavras lidas incorretamente, com presença de trocas, omissões, acréscimos e inversões (erros de decodificação) identificadas na análise da quantidade de palavras lidas corretamente por minuto. ?     Tipos de trocas cometidas durante a leitura

Considera-se as seguintes categorias de tipos de erros de leitura:      –       Troca por palavra visualmente similar

  • Regularizações
  • Desrespeito à regra de correspondência grafofonêmica independente do contexto
  • Omissões e adições
  • Falhas de aplicação das regras ortográficas
  • Inversões de sequência
  • Erro quanto ao emprego da tonicidade
  • Erro por desrespeito ao sinal gráfico de acentuação
  • Erros complexos
  • Recusas

As medidas citadas seguem a metodologia proposta por Kawano, Kida, Carvalho e Ávila (2011).

Os resultados da análise de todas as medidas de leitura apresentadas acima são apresentados em relatórios individuais e gerados resultados em planilhas e em gráficos. Estas últimas formas de apresentação dos dados são úteis para realizar a comparação entre leitores de um mesmo grupo, que podem ser, por exemplo, alunos de uma mesma turma ou série escolar. Nesta situação podemos observar por meio dos dados quais são os leitores que se encontram com o desempenho dentro do esperado para o grupo, quais estão com o desempenho superior ao da média de leitura e quais leitores estão com o desempenho abaixo do esperado, necessitando de maior atenção. Também podem ser gerados relatórios comparativos entre grupos e entre indivíduos de um mesmo grupo.

O software LEPIC® pode ser aplicado em indivíduos de qualquer idade, basta que este tenha sido alfabetizado e seja capaz de realizar leitura oral. Além de se estender a uma grande faixa etária o programa é aplicável a indivíduos com e sem queixas de dificuldade de aprendizagem. Apresenta grande utilidade para avaliar a leitura de alunos do Ensino Fundamental otimizando o tempo gasto para análise dos dados, organizando os resultados e comparando-os. O software aceita a inserção de qualquer texto. Sugere-se que o texto escolhido para a leitura seja compatível com a faixa etária na qual será aplicado pensando em vocabulário e construção sintática. O texto pode ser inserido no software no formato TXT. Neste momento o operador do programa deve inserir a quantidade de sílabas existentes no texto para um cálculo mais preciso de medidas como a quantidade de sílabas por segundo.

Após inserir o texto, pode-se inserir o questionário, também no formato TXT, e o número de questões que ele possui, que serão utilizados para análise da quantidade de acertos e do tempo gasto para responder ao questionário. Portanto a análise realizada pelo programa é baseada nos dados da leitura e da interpretação de um texto pré definido.

A identificação do leitor é realizada com os dados pessoais e escolares como o nome da escola, tipo de escola e turma. Um leitor pode ser cadastrado no programa pelo sistema de cadastro deste ou ter seus dados informados no momento da importação dos áudios. Um leitor cadastrado pode ser removido do programa ou ter seus dados modificados.

Nos textos inseridos no LEPIC ® podem ser realizadas três tipos de marcações. São elas:

  • Definição de erro de leitura, o operador do programa poderá acrescentar anotações sobre o erro de leitura cometido pelo leitor.
  • Indicação de palavra omitida, repetida ou inserida. Caso alguma destas situações aconteça o sistema pode ser informado e levará a informação em consideração na geração dos relatórios.
  • Marcação do primeiro minuto de leitura.

A efetividade do software LEPIC® em indivíduos adultos foi comprovada no estudo de Alves, Melo e Celeste (2018). Este estudo funcionou como uma verificação da eficiência e funcionalidade do software e foi conduzido com a análise do corpus de dados da pesquisa de Alves, Moojen, Navas e Celeste (2018) sobre fluência leitora em adultos com e sem o diagnóstico prévio de dislexia.

As autoras analisaram amostras de leitura de 58 indivíduos adultos dentre os quais, 30 apresentavam o diagnóstico de dislexia. Foram coletadas amostras de leitura dos sujeitos e prosseguiu-se com a análise dos dados de leitura coletados tanto pelo software como de forma manual por uma pesquisadora com experiência na área, segundo a metodologia de Kawano, Kida, Carvalho e Ávila (2001). Foram analisados os parâmetros: Tempo total de leitura (em minutos), quantidade de erros cometidos durante a leitura, taxa de leitura (PPM), e acurácia (PCPM). As duas últimas medidas foram calculadas tendo como base apenas o primeiro minuto de leitura do texto.

Para a análise dos dados da pesquisa foram utilizadas as medidas estatísticas descritivas (média e desvio padrão) e para a comparação entre as amostras o teste t de student, com significância de 5%. A análise foi realizada pelo software e de forma manual, para o grupo controle entre si, para os grupos com dislexia entre si e para comparar o grupo controle com o grupo com dislexia.

Resultados e Discussão:

 O software possui uma gama ampla de possibilidades e pode ser utilizado por todos aqueles profissionais que estão envolvidos com o ensino, avaliação e terapia de leitura. Dentre estes profissionais podemos citar: fonoaudiólogos, professores, pedagogos, psicopedagogos, psicólogos entre outros.

O sistema de geração de relatórios do software permite a análise do desempenho de leitura tanto de indivíduos isolados como em grupo. Neste sentido podem ser gerados relatórios individuais com as medidas dos parâmetros de fluência e compreensão leitora daquela pessoa individualmente, assim como geradas comparações entre diferentes turmas e escolas. Por exemplo, o gráfico com a média do número de palavras lidas por minuto é gerado automaticamente e apresenta, para a turma selecionada os escolares classificados em leitores excelentes (acima do desvio padrão), leitores dentro do desvio padrão e leitores sob atenção (abaixo do desvio padrão). Ou seja, realiza comparações, separando leitores típicos, leitores acima da média e leitores que precisam de atenção. Os relatórios podem ser salvos e impressos pelo próprio software.

Para usos futuros o programa pode realizar o chamado relatório agrupado por meio do qual são gerados em formato CSV (Comma-separated values), podendo ter os dados aproveitados por ferramentas de manipulação de planilhas como o Microsoft Excel. Nestes relatórios agrupados, para todas as turmas e escolas, estão presentes dados como identificação do leitor, texto e grupo, além de dados relativos à leitura como: Respostas corretas, número de palavras lidas no 1° minuto, número de palavras corretas lidas no 1° minuto, PPM, PCPM, tempo de leitura, sílabas por minuto, sílabas por segundo, taxa de elocução, taxa de articulação e tempo de articulação.

Os resultados da análise de efetividade do software conduzido por Alves, Melo e Celeste (2018) com leitores adultos apontaram que não houve diferença significativa entre a análise de leitura realizada pela pesquisadora e a análise realizada pelo LEPIC® tanto para o grupo controle como para o grupo com dislexia. As análises foram significativas apenas quando se comparou o grupo controle ao grupo com dislexia nas duas análises (manual e realizada pelo programa), evidenciando que o software possui uma análise precisa tanto para leitores típicos quanto para leitores com quadro de transtorno de leitura. O mesmo estudo evidenciou ainda que o grupo de adultos com dislexia possui menores valores nas medidas de velocidade de leitura, mostrando que leem uma menor quantidade de palavras por minuto e com uma menor precisão. Estes resultados também foram encontrados no estudo de Lira, Pazeto, Mousinho e Peres (2017) que identificaram a velocidade de leitura em adultos com dislexia como uma medida com relevância para a identificação do transtorno, reforçando a importância da avaliação da fluência leitora em adultos com queixas de dificuldades de leitura.

Com relação à análise comparativa de velocidade de leitura realizada entre o primeiro minuto de leitura e do texto completo o estudo de verificação do Software evidencia ausência de diferença estatística ao se comparar os dois valores, resultados também encontrados no estudo de Celeste, Pereira, Pereira e Alves (2018) realizado com leitores típicos do Ensino Fundamental I. Estes resultados são relevantes porque apontam para a confiabilidade da análise simplificada do primeiro minuto de leitura, útil para triagens ou diante da impossibilidade da leitura de um texto completo. Este é mais um complemento útil do software.

É importante ressaltar que os resultados apontaram ainda que, embora o tempo médio de leitura de um texto por um adulto com dislexia seja maior, ao se observar este aspecto de forma perceptivo-auditiva as dificuldades não são tão evidentes, uma vez que muitos leitores conseguem desenvolver estratégias e adaptações em alguns parâmetros de leitura com o avanço dos anos escolares, o que reforça a utilização de medidas objetivas na avaliação da velocidade de leitura em todas as idades.

Este fato também acontece com a variação melódica na leitura de adultos disléxicos. Apesar da análise por medidas dos valores da Frequência fundamental (F0) não ser estatisticamente diferente do grupo sem dislexia, observa-se que o grupo controle apresentou maiores valores de variação, o que é compatível com uma tendência a uma leitura mais expressiva. Devido ao contexto social e profissional dos adultos com dislexia pesquisados, entendemos que estes já venceram as dificuldades de base de decodificação de palavras o que lhes permite utilizar o esforço cognitivo em tarefas suprassegmentais da leitura.

Com relação à quantidade de erros cometidos durante a leitura observou-se uma diferença evidente entre o grupo de adultos com e sem dislexia. O grupo com dislexia comete mais erros, mantendo ainda resquícios da dificuldade com a habilidade de decodificação de palavras o que é uma das principais dificuldades apresentadas por indivíduos com dislexia (FLETCHER, 2007; LYON, SHAYWITZ, 2003; DSM-5).

Conclusão:

 O software LEPIC® é capaz de otimizar o tempo gasto na avaliação da fluência de leitura. Pode ser utilizado para avaliar a leitura de crianças, adolescentes e adultos com ou sem quadros de dificuldades de leitura. O programa emite relatórios individuais e também compara os sujeitos e grupos com base nos resultados encontrados. Demonstrou efetividade à comparação entre análises manuais e automáticas realizadas pelo software.

Possui aplicações clínicas, educacionais e científicas, mostrando-se como uma ferramenta de análise de leitura com utilidade para profissionais que atuam com fluência e compreensão de leitura.

Referências:

ALVES, L.M.; REIS, C.; PINHEIRO, A. Prosody and reading in dyslexic children. Dyslexia. 2015;21(1):35-49.

ALVES, L.M.; LALAIN, M.; GHIO, A.; CELESTE, L. Escala Multidimensional de fluência em leitura: avaliação perceptiva da leitura de escolares com e sem dislexia do desenvolvimento. In: MOUSINHO, R.; ALVES, L.M.; CAPELLINI, S. A. (Org.). Dislexia: novos temas, novas perspectivas – volume III. 1ª ed. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2015, v. III, p. 151-164.

ALVES, L.M.; PINHEIRO, A.; REIS, C.; CAPELLINI, S. A. Medidas objetivas de fluência de leitura e o processo de compreensão. In: BARBOSA, T.; RODRIGUES, C.; MELLO, C.; CAPELLINI, S.; MOUSINHO, R.; ALVES, L.M. (Org.). Temas em dislexia. 1ed. São Paulo: Artes Médicas, 2009, p. 89-102. ALVES, L.M.; PINHEIRO, A.; CAPELLINI, S. A.; REIS, C. Entonação nos transtornos da leitura. Revista Educação: Temas e Problemas, v. 4, p. 141154, 2007.

ALVES, L.M.; PINHEIRO, A.; CAPELLINI, S. A.; REIS, C. Aspectos temporais e entonativos na leitura e compreensão de crianças com transtorno de aprendizagem. Rev. Soc. Bras. fonoaudiol., v. 11, p. 151-157, 2006. ALVES, L.M. A prosódia na leitura da criança disléxica. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte – Brasil, 2007.

ALVES, L. M.; MOOJEN, S. M. P.; NAVAS, A. L.; CELESTE, L. C. parâmetros prosódicos na leitura de adultos com e sem diagnóstico de dislexia. In: ALVES, L. M.; MOOJEN, S. M. P.; NAVAS, A. L.; CELESTE, L. C. Dislexia – Novos temas, novas perspectivas – Volume IV. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2018. ALVES, L. M.; MELO, F. S. M. C..; CELESTE, L. C. LEPIC® – Software de análise de leitura. In: ALVES, L. M.; MOOJEN, S. M. P.; NAVAS, A. L.; CELESTE, L. C. Dislexia – Novos temas, novas perspectivas – Volume IV. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2018.

AMERICAN        PSYCHIATRIC       ASSOCIATION. Manual      Diagnóstico       e

Estatístico dos Transtornos Mentais – 5; tradução: Maria Inês CorrÊa Nascimento…[et al.]; revisão técnica: Aristides Volpato Cordioli …[et al.]. Porto alegre: Artmed, 2014.

CELESTE, L. C; PEREIRA, E. S.; PEREIRA, N. R. R.; ALVES, L . M. Parâmetros prosódicos de leitura em escolares do segundo ao quinto ano do ensino fundamental. CoDAS. 2018.; 30(1): 1-4.

FLETCHER, J. M. Dyslexia: the evolution of a scientific concept. J int Neuropsychol Soc. 2007; 15(4): 5001-508.

KAWANO CE, KIDA ASB, CARVALHO CAF, ÁVILA CRB. Parâmetros de fluência e tipos de erros na leitura de escolares com indicação de dificuldades para ler e escrever. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 16,1,p. 9-18, 2011.

LIRA, L.; PAZETO, N.; MOUSINHO, R.; PERES, S. Investigação da sensibilidade de instrumentos de avaliação de habilidades fonológicas, leitura e escrita para adultos disléxicos. Revista NBC.2017; 7(13): 61-68.

LYON, G. R.; SHAYWITZ, S. E.: SHAYWITZ, B. A. Definition of dyslexia. Annals of Dyslexia. 2003: 53: 1-14.

MARTINS, M.A.; CAPELLINI, S. A. Fluência e compreensão da leitura em escolares do 3º ao 5º ano do ensino fundamental1. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 31, n. 4, p. 499-506, 2014.